segunda-feira, 13 de março de 2017

FONTE

FONTE DA SAÚDE, FONTE DE MERGULHO



 "O Padre Carvalho da Costa não aponta nenhum registo de fontes para Gouveia e o certo é que actualmente parece não existir nenhuma. No entanto, uma foto antiga a que tive acesso, por amabilidade de Alcino Vieira, Presidente da Junta de Freguesia, deixa claro que esta localidade teve uma das maiores e mais belas construções de Fontes de Mergulho do concelho, como se documenta a seguir. Segundo a população, esta fonte assemelhava-se a uma capelinha. Era toda construída em granito e junto dela tinha um tanque para os animais e um outro para lavar a roupa. Olhando com atenção para a foto pode ver-se que do lado esquerdo, junto ao telhado, existia um pequeno nicho onde deveria ter estado uma imagem religiosas. A cruz frontal ajuda a dar a ideia de pequena capela. A comparação com a pessoa que está a tirar água permite ter uma ideia da dimensão desta fontes, mas ainda assim menor que a de Vilarchão. Finalmente, a foto deixa claro que o arco de entrada, ainda que de maiores proporções, é em tudo semelhante ao “modelo” referido para outras fontes existentes em Gebelim, Sambade, Vilares da Vilariça e Valverde. Esta fonte sofreu uma profunda (e lamentável) intervenção, ao que parece com o objectivo de aumentar o caudal de água. Para isso, foi necessário aprofundá-la. No entanto, aquando da reconstrução, não foram utilizadas todas as pedras originais, tendo algumas delas sido utilizadas para sustentação dos terrenos agrícolas das imediações. Das outras pedras desconhece-se o paradeiro, nomeadamente a que mais caracterizava a fonte e que é referida como a “pedra dos sete dedos”, pois possuía uma marca parecida a uma mão com sete dedos. A foto não permite identificar esta pedra, mas pode tratar-se da base da cruz. Na localidade anexa de Cabreira identificaram-se duas Fontes de Mergulho.
A Fonte da Saúde (um nome que sugere claramente a qualidade que era atribuída à sua água) é fácil de recuperar, pois conserva a sua estrutura original. A Fonte Velha (outro nome significativo, que pode significar tratar-se da mais antiga) foi objecto de “restauro” em 1987 e ficou com o aspecto que a foto documenta. Resta saber se por de trás do muro de tijolo ficou a estrutura original, ou se retiraram também as pedras.

 Fonte da Saúde – Cabreira Foi-lhe atribuído este nome porque se conta que antigamente um velhinho, muito doente, não pertencente ao povoado, ia lá sempre buscar água para beber e cozinhar e, quando questionado do porquê da utilização desta fonte e não de uma mais próxima da sua localidade, este retorquia dizendo que esta lhe dava saúde.

F. Lopes,"

FONTE VELHA, FONTE DE MERGULHO,



 O Padre Carvalho da Costa não aponta nenhum registo de fontes para Gouveia e o certo é que actualmente parece não existir nenhuma. No entanto, uma foto antiga a que tive acesso, por amabilidade de Alcino Vieira, Presidente da Junta de Freguesia, deixa claro que esta localidade teve uma das maiores e mais belas construções de Fontes de Mergulho do concelho, como se documenta a seguir. Segundo a população, esta fonte assemelhava-se a uma capelinha. Era toda construída em granito e junto dela tinha um tanque para os animais e um outro para lavar a roupa. Olhando com atenção para a foto pode ver-se que do lado esquerdo, junto ao telhado, existia um pequeno nicho onde deveria ter estado uma imagem religiosas. A cruz frontal ajuda a dar a ideia de pequena capela. A comparação com a pessoa que está a tirar água permite ter uma ideia da dimensão desta fontes, mas ainda assim menor que a de Vilarchão. Finalmente, a foto deixa claro que o arco de entrada, ainda que de maiores proporções, é em tudo semelhante ao “modelo” referido para outras fontes existentes em Gebelim, Sambade, Vilares da Vilariça e Valverde. Esta fonte sofreu uma profunda (e lamentável) intervenção, ao que parece com o objectivo de aumentar o caudal de água. Para isso, foi necessário aprofundá-la. No entanto, aquando da reconstrução, não foram utilizadas todas as pedras originais, tendo algumas delas sido utilizadas para sustentação dos terrenos agrícolas das imediações. Das outras pedras desconhece-se o paradeiro, nomeadamente a que mais caracterizava a fonte e que é referida como a “pedra dos sete dedos”, pois possuía uma marca parecida a uma mão com sete dedos. A foto não permite identificar esta pedra, mas pode tratar-se da base da cruz. Na localidade anexa de Cabreira identificaram-se duas
Fontes de Mergulho. A Fonte da Saúde (um nome que sugere claramente a qualidade que era atribuída à sua água) é fácil de recuperar, pois conserva a sua estrutura original.

A Fonte Velha (outro nome significativo, que pode significar tratar-se da mais antiga) foi objecto de “restauro” em 1987 e ficou com o aspecto que a foto documenta. Resta saber se por de trás do muro de tijolo ficou a estrutura original, ou se retiraram também as pedras.

 Legenda: Fonte Velha – Cabreira Esta fonte, originalmente toda construída em xisto, sofreu uma remodelação no ano de 1987, tendo parte dela sido reconstruída em cimento. No entanto, as pedras que a edificavam ainda se encontram no local. De ambos os lados da fonte ainda são visíveis duas pedras salientes que serviam para colocar os cântaros cheios de água, para em seguida serem transportados à cabeça. Segundo a população, a água desta fonte era fria no Verão e quente no Inverno, tendo continuado a ser utilizada, mesmo aquando do primeiro abastecimento de água canalizada. No entanto, após as obras que sofreu, deixou de ser utilizada, porque se diz que adquiriu outro sabor.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

domingo, 21 de fevereiro de 2016